sábado, 27 de agosto de 2016

Voo 3054 da Tam

VOO 3054 DA TAM

Apagão aéreo

O caos aéreo brasileiro, que havia anos era gestado nas sombras, surgiu nítido e aterrador diante dos olhos do país em 29 de setembro de 2006, quando um Boeing da Gol se chocou em pleno ar com um jato Legacy, provocando 154 mortes. Desde então, o país passou a assistir atônito a um espetáculo deprimente, em que contracenam o descontrole dos controladores aéreos, o improviso e a ganância das companhias e a infinita inépcia das autoridades. Estava em vigência no Brasil o chamado “apagão aéreo”.

Particularmente, o Aeroporto de Congonhas, de maior movimento no país, vinha sendo alvo de críticas havia alguns anos, em função dos problemas relacionados à operação sob chuva em decorrência de baixos coeficientes de atrito e de acúmulo de água na pista principal, devido às irregularidades de sua superfície. Estas duas características acabavam facilitando a ocorrência de derrapagens e aquaplanagens.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Cidade de Bagnoregio na Itália…

… é Um Lugar Impressionante!

Fundada mais de 2.500 anos atrás, a Cidade de Bagnoregio é agora uma cidade em perigo. Durante o século 20, a população da cidade diminuiu consideravelmente, e hoje restam apenas alguns moradores, tornando-a quase uma cidade fantasma. Veja abaixo fotos e curiosidades sobre este incrível lugar!

Cidade de Bagnoregio na Itália

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Grandes Batalhas: Aljubarrota


No ano de 1385, a Europa estava mergulhada em crise e doença. A França estava devastada pela Guerra dos Cem Anos (que, só por curiosidade, durou 116 anos), e as constantes epidemias da Peste Negra assolavam a população europeia. Neste período, a Península Ibérica não estava em seus melhores momentos, acompanhando o resto do continente. Há dois anos, desde 1383, com a morte de Dom Fernando I de Portugal, O Formoso, criaria-se uma crise sucessória pelo trono português, tendo em vista que a filha legítima primogênita do Rei, Beatriz (seus dois filhos homens mais novos, Pedro e Afonso, morreram muito jovens) era casada com Dom João I de Castela, e este requeria o título de Rei de Portugal enquanto genro do falecido Rei, enquanto alguns dos portugueses escolhiam por Dom João, Mestre da Ordem de Avis (outros também apoiariam outro Dom João, mas aí já ia ser uma treta confusa demais e este Dom João é um perdedor que não protagonizará Aljubarrota, então você não precisa saber dele).

Notre Dame de PARIS reflete a glória da…

… Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo

Quando aparece a catedral de Notre Dame, deixa todas as outras coisas de lado, mesmo a catedral de São Marcos de Veneza.
As três portas têm lindíssimas ogivas, profundas, indicando bem a espessura das paredes.
Em cada portal, ao longo de toda a espessura, existem episódios da História Sagrada esculpidos de um lado e de outro.

Ivan, O Formidável

No dia 25 de Agosto de 1530, nascia o pequeno Ivan. Aos três anos, teve que suportar a morte de seu pai e aos 5 já presidia as reuniões regenciais. Seus regentes, sempre brigando entre si por poder e roubando do tesouro real, assustavam o pequeno menino. Numa dessas reuniões, ele denunciou a má administração e o esbanjamento de recursos do reino. O acusado foi assassinado por ordem sua. Antes dos 16 anos, já havia providenciado de matar as famílias de todos os regentes, assumindo rapidamente o poder. Aos 16, casou-se com Anastasia Romanovna e foi coroado rei da Moscóvia, império de onde partiu a Rússia. Foi o primeiro imperador russo a usar o título de tsar, traduzido de maneira errada para “czar”, na língua ocidental. O título deriva do de “césar” romano, e foi usado até a o último imperador russo, o czar Nicolau II.

  Em seus anseios militares, obrigou a Igreja Ortodoxa e os boiardos a lhe financiar tropas e exércitos. Expulsou os tártaros de Kazan, e, em comemoração, ordenou que fosse construída a Catedral de São Basílio, muito conhecida por sua arquitetura singular. Conquistou também a Sibéria dos mongóis, parando assim seu avanço territorial sobre a Europa e anexou os territórios de Estônia e Letônia, antes na mão de nórdicos, territórios esses que só conquistariam a independência no período de queda da URSS, no fim da Guerra Fria.

Duque de Caxias–Patrono do Exército Brasileiro

Luís Alves de Lima e Silva

Luís Alves de Lima e Silva, Duque de Caxias (25 de agosto de 18037 de maio de 1880), apelidado de "O Pacificador" e "O Duque de Ferro", foi um militar, político e monarquista brasileiro. Caxias seguiu uma carreira militar, assim como seu pai e tios. Ele lutou em 1823 contraPortugal na Independência do Brasil e depois passou três anos naCisplatina enquanto o governo tentou resistir sem sucesso contra asecessão da província. Caxias permaneceu leal ao imperador Pedro Idurante protestos em 1831, apesar de seus familiares terem abandonado o monarca. Pedro I abdicou em favor de seu filho Pedro II, a quem Caxias serviu como mestre de armas ensinando-lhe esgrima ehipismo, eventualmente tornando-se seu amigo.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Utopia

Já imaginou um lugar onde as pessoas trabalhariam poucas horas por dia, dedicariam-se aos estudos, as artes e ao lazer. Um lugar, sem corrupção, sem guerras, sem fome, sem desastres naturais iminentes. Um lugar onde todos teriam sua própria casa, seu emprego, teriam acesso a educação e a um sistema de saúde de boa qualidade. Um lugar onde a propriedade da terra fosse coletiva?
Um lugar, onde as pessoas seriam cultas, gentis, alegres, caridosas. Um lugar onde o dinheiro não vale-se nada, onde joias e ouro fossem apenas enfeites? Um lugar onde as cidades fossem belas e verdejantes, s ruas limpas e o ar puro? Um lugar longe dos males da humanidade? Esse lugar não é o Paraíso, ele fica na Terra. Bem-vindo a Utopia.

A vida de um santo


Em 1478, nasceu em Londres, Tomás Moro (More em inglês, Morus em latim). Era filho de uma família tradicional, honrada, culta e devota, mas sem grande influência. Seu pai era John Moro, era um juiz, que fora agraciado com o titulo de cavaleiro "Sir". Seu pai era um homem culto e de visão ampla, mesmo sendo um fiel católico, deu a melhor educação para seus filhos e filhas na época. Tomás e seus irmãos, estudaram latim, grego, lógica, astronomia, matemática, literatura, filosofia, história, etc. Moro, posteriormente passou a seguir os passos do pai e se tornou advogado, passando a exercer alguns cargos no Estado. Casou-se duas vezes, tendo vários filhos, sendo que a primeira esposa havia falecido. Era um bom marido e pai de família e um grande amigo e distinto trabalhador. Atuou por alguns anos como professor universitário, em 1504, tornou-se membro da Câmara dos Comuns, chegando a ser presidente da mesma. Tornou-se em 1510 xerife de Londres e juiz da Comissão de Paz.

A REVOLUÇÃO RUSSA DE 1917

  Numa era essencialmente industrial e imperialista, a Rússia do início do século XX se via com uma economia essencialmente agrária, e em termos de política, uma nação teocrática e autocrata, sob o domínio tsarista (termo derivado do césar romano, usado pela primeira vez por Ivan, O Terrível), e com profundas desigualdades sociais. O termo "essencialmente agrária" é bem simplista, mas justo, já que a industrialização do país estava dando seus primeiros passos. Com o surgimento de uma indústria, ocorreu um grande êxodo rural para os grandes centros russos, onde as massas trabalhavam em condições desumanas, como ocorria no resto do mundo, mas com uma diferença: Não tinham as mesmas liberdades individuais das quais os povos das demais potências mundiais (inclusive os brasileiros livres até 1889) usufruíam.

Personalidades da História - Pedro Álvares Cabral

Cabral – 1467? – 1520

“Cabral, Moço” Óleo de Manuel Victor


Entre os marinheiros correm rumores. As doze naus navegam há semanas sem ver terra. Os veteranos do mar não compreendem: eles não iam para as Índias pela rota que Vasco da Gama acabara de descobrir? Como então se afastavam tanto da África, rumando para o ocidente? E o perigo? E os dragões e as serpentes aladas de que falavam as velhas histórias do grande oceano desconhecido?

Apesar de tudo, os comandantes dos navios não parecem preocupados: repetem a ordem de seguir para o sudoeste, sempre para sudoeste. O quadragésimo terceiro dia de viagem vai acabando como os outros: mas por todos os lados, os barcos balançando, os trabalhos de rotina e, no fim do dia, a hora de rezar.

O sol está desaparecendo quando a notícia se espalha: existe alguma coisa no mar. Toda a tripulação dos barcos corre para a amurada: entre as ondas boiam algumas algas marinhas. Anoitece, nada mais se pode ver. Mas uma coisa é certa para todos: existe terra por perto.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Solimão, O Magnífico.

Nascido do Sultão otomano Selim I com uma plebeia da Anatólia, Solimão era desde cedo considerado um garoto prodígio. Foi mandado para escolas de táticas de guerra, história e ciências quando ainda tinha sete anos. Quando ele completou seus quinze anos,  foi mandado para governar diversas províncias otomanas, o que demonstrava a confiança que haviam posto nele e que representou sua primeira experiência de governo. Com a morte de seu pai, o sultanato caiu em suas costas.

Leopoldo I Da Bélgica

Leopoldo como general russo, por George Dawe

Leopoldo de Saxe-Coburgo-Gotha como general russo, por George Dawe. No peito, traz as insígnias de cavaleiro da Ordem da Jarreteira britânica, a condecoração de terceira classe da Ordem de Santa Anna e a cruz da Imperial Ordem de Santo Alexandre Nevsky, ambas russas. Acima de todas as outras insígnias está a da Ordem de São Jorge, condecoração por honras militares do Império Russo.

A GUERRA IMPERIAL

grande guerra courrier internacional

Foto 1 – Combatentes da Grande Guerra.

1- INTRODUÇÃO

A Primeira Guerra Mundial foi um conflito verdadeiramente global, mas não foi por isso que ficou conhecida como a “Grande Guerra”. Este título é devido não apenas a essa característica global, mas também (e sobretudo) às repercussões catastróficas que a guerra teve sobre as populações de quase todo o mundo. Repercussões que resultaram não tanto da escala mundial da contenda, mas muito mais da “combinação entre tecnologia militar e cultura dos povos que a travaram”[1]. Para enquadrarmos a Grande Guerra temos de recuar à primeira metade do século XIX, quando a Inglaterra e a França eram os países europeus mais poderosos, detendo vastos domínios coloniais. Um cenário que se alterou na segunda metade do século, com a unificação da Itália (que só se completaria no século XX) e, sobretudo, da Alemanha, países que tinham chegado atrasados à corrida colonial, mas que estavam interessados em alargar os seus territórios. Tentando colocar alguma ordem na corrida, as principais potências europeias reuniram-se em Berlim, no ano de 1884, com a intenção de chegarem a acordo sobre a partilha do continente africano. Hoje em dia pode parecer estranho que um inteiro continente tenha sido repartido dessa forma e, como disse H.G.Wells, “é difícil acreditar que um número tão grande de pessoas tenha aceitado essa pintura abrupta do mapa de África, em cores europeias, como uma definição nova e permanente das questões mundiais”[2]. Mas naquele tempo os europeus acreditavam que, ao invés de estarem a subjugar outros povos, estavam, outrossim, a salvá-los das trevas e a conduzi-los à civilização. Era, pois, uma missão meritória, aquela das potências ocidentais, auto-consideradas superiores. Na verdade, “a mente europeia do século XIX dispunha de um conhecimento histórico muito superficial, e não tinha o hábito da crítica penetrante”.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Pedro Álvares Cabral (que era português), e já valeu mil cruzeiros

Se você nasceu antes dos anos 1970, se lembra muito bem dele: o Cabral. Um Cabral valia mil cruzeiros. E lá estava a “foto” dele, qual Washington ou o Barão do Rio Branco. E, na foto, ele era um velho com uma barba branca e longa. Ledo engano.

Pedro Álvares Cabral, que nasceu em Belmonte (seis mil habitantes, hoje) em 1468, tinha, portanto, 32 aninhos quando do Descobrimento (em Portugal, eles dizem achamento) do Brasil. E morreu com 52 em Santarém, não no Pará, mas no Alentejo, lá em Portugal.

Conheça um dos maiores navios de guerra do mundo!

USS Iowa, um dos maiores navios de guerra do mundo está aposentado.

imagem navios de guerra

Uma peça de artilharia que é quase uma jóia rara inventada pelo homem, esse é o USS Iowa, aposentado há cerca de 20 anos.

O USS Iowa é o primeiro entre os maiores e mais poderosos navios de guerra já construídos. Pertencente aos Estados Unidos, esssa raridade possui armas de calibres de 16 polegadas capazes de atirar projéteis nucleares, aliás, o único modelo norte americano capaz deste feito na história dos Estados Unidos.

Um navio extremamente complexo em sua operação que necessitava de uma tripulação de setenta marinheiros para operar as poderosas armas. Assim era o USS Iowa. Confira no vídeo abaixo criado para orientar os soldados da época  (década de 50) sobre como enfrentar situações de combate e como manejar cada arma do navio de guerra.

O USS Iowa foi usado nos campo de batalha do pacífico durante a Segunda Guerra Mundial, e aposentado com o fim da guerra.

Os navios de guerra do tipo de Iowa foram os únicos transportes marinhos capazes de atirar projéteis nucleares. Esta capacidade foi adicionada durante a década de 50 e por lá permaneceram até a aposentadoria destes formidáveis navios.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

É verdade que quem descobriu o Brasil foi Pedro Álvares Gouveia e não Pedro Álvares Cabral?

Alguns pesquisadores levantaram essa polêmica do sobrenome do nosso descobridor na década de 1990. Para eles, havia duas evidências de que Pedro Álvares chamava-se Gouveia e não Cabral. Primeira evidência: em três documentos publicados entre 1497 e 1500, o rei de Portugal se refere ao descobridor como "Pedro Álvares Gouveia". Segunda evidência: de acordo com as regras genealógicas da época, apenas o filho mais velho poderia usar o sobrenome do pai.

Neuschwanstein: o senso do combate e da dignidade afidalgada

O castelo de Neuschwanstein foi construído pelo rei Luís II da Baviera (1845-1886).
Corresponde a uma concepção romântica e wagneriana da Idade Média.
O homem que o imaginou quis refletir todo o espírito medieval, ou seja, o senso do combate e da dignidade afidalgada do homem da Idade Média.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

O Sequestro do voo 114

O voo e o sequestro

Nos primeiros dias de 1970, ex-marido da presidente Dilma e militantes viraram notícia mundial.

Aos 24 anos, a professora Marília Guimarães era peça importante na Vanguarda Popular Revolucionária, a VPR, organização armada de extrema esquerda que lutava contra o regime militar naquele final dos anos 1960.

Dona de uma escola com 800 alunos no bairro Coelho Neto, no Rio de Janeiro, ela usava o estabelecimento para reuniões e copiava no mimeógrafo panfletos para o grupo. A situação se complicou muito quando militares invadiram a escola exigindo explicações sobre o equipamento, que dias antes tinha sido escondido na casa de um guerrilheiro, preso em Niterói, em fevereiro de 1969.

Sozinha, com dois meninos de três e dois anos para criar — o marido Fausto Machado Freire, também do movimento, estava preso por se envolver em assaltos —, ela corria o risco de ir para cadeia a qualquer momento. Marília abandonou tudo, fugiu com as crianças para Minas Gerais, onde nascera e tinha parentes, e a decisão da VPR foi de tirar os três do Brasil. Como? Sequestrando um avião no Uruguai, onde tinha aliados e apoio dos Tupamaros, grupo guerrilheiro local.

Top 10 maiores navios de guerras do mundo

É vontade natural do homem a construção de coisas maiores, mais velozes e ainda mais fortes, em relação ao que se tinha antes. No universo militar, este ditado se mantém fiel pelos séculos, como é observado pelas muitas nações e estados procurando construir as maiores forças militares com armamento mais poderoso.
E talvez a natureza competitiva seja mais evidente na marinha dos diversos países, já que ter a mesma, grande numericamente, é símbolo de poder e riqueza nos mares. Isso também reflete na habilidade da nação para influenciar o restante do mundo ou impor o que se deseja aos outros. Nesta seleção estão os 10 maiores navios de guerra do mundo.

10°

Classe Izumo, Japão – 247 metros

Izumo um dos maiores navios de guerras do mundo
Apenas um navio desta classe foi concluído, porém o Japão planeja a construção de mais um para a Força Marítima de Alto-Defesa japonesa. Izumo é um porta helicóptero, com finalidade militar principal a caçar submarinos hostis e destruir os mesmos.
O navio pode transportar 14 helicópteros, 400 soldados e algumas dezenas de veículos. O custo aproximado é de US$ 1.2 bilhões. A classe Izumo é a mais moderna classe de navio na frota japonesa e o maior que o Japão construiu desde a Segunda Guerra Mundial. Apesar do tamanho, o navio tem apenas fins de defesa, sem armamento ofensivo algum, seguindo a politica e constituição da proibição de armas.

A catedral e a vocação da França “filha primogênita da Igreja”

Catedral de Rouen, Normandia, França.
Na diocese de Rouen foi recentemente martirizado um sacerdote.

No século XIII, ricos e pobres tinham os mesmos gostos prazeres artísticos.
Não havia de um lado o povo e do outro a classe dos entendidos de arte.
A catedral era o lar de todos, e a arte ali traduzia o pensamento de todos.
Contrariamente aos séculos XVI e XVII em que a arte pouco nos diz do pensamento profundo da França da época, a arte do século XIII, nos fornece a manifestação plena de uma civilização numa época definida da história.
A catedral medieval assume o papel dos livros.

O inferno é uma cidade…

"... uma cidade esfumaçada e populosa. Existe aí todo tipo de pessoas arruinadas e pouca diversão, ou melhor, nenhuma, e muito pouca justiça e menos ainda compaixão".

Percy Bysshe Shelley

Os habitantes de uma grande metrópole do vigente século XXI, tem muito a reclamar. Ruas abarrotadas de carros, ônibus, motocicletas, bicicletas, caminhões e toda a sorte de outros veículos, expelindo cada um mais e mais dióxido de carbono, levantado um ar denso e abafado. Ao mesmo tempo, tal multidão de veículos que se abarrotam nas ruas que se estreitam, por não terem mais espaço para onde crescer, enclausuram as multidões de passos apressados que lotam cada pedaço de calçada disponível, desviando de buracos, placas, declives, árvores, lixo e o que tiver pelo caminho.

Cidades sujas, fumaçantes, lotadas, violentas... ladrões espreitam nas esquinas, a corrupção se espalha por todos os níveis, casas se tornam prisões, e torres sombreiam a paisagem. Ir e voltar é uma viagem, viver nas ditas selvas de concreto é quase uma luta pela sobrevivência, vista nas selvas verdejantes.

Castelo de Sant'Angelo: escabelo para os pés do Arcanjo São Miguel

Na ilustração ao lado, vemos o rio Tibre em Roma, com a ponte que conduz ao castelo de Sant´Angelo.
Ao longo dessa ponte monumental, construída para resistir aos séculos, percebem-se imagens de anjos.
Os fiéis que transpõem lentamente a ponte, rezando diante dessas imagens certas orações prescritas pela Igreja, ganham indulgência plenária, desde que depois visitem o castelo.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Os Piores Acidentes Aéreos–Vídeo

História e Cultura: Cartões-Postais de Roma do Século 19!

Pode-se dizer que Roma é uma das cidades mais impressionantes do mundo — tem a melhor comida, pessoas bonitas, muita musicalidade e, principalmente, muita história. Suas construções milenares, restauradas ou não, fazem com que nossa mente tente nos levar ao passado somente ao observá-las. Isso faz de Roma um grande museu a céu aberto, com uma centena de atrações. Essas imagens que você verá agora são antigos cartões-postais dessa vibrante cidade que sempre teve muito a mostrar, sem dúvida uma das principais capitais do mundo até os dias de hoje. Aprecie esses antigos cartões-postais e permita-se fazer uma viagem ao tempo. Confira!

Fonte da Água Feliz

cartões-postais antigos roma itália

O mais impressionante nessas imagens é que foram coloridas através de um minucioso e delicado processo de fotocromo, no qual nenhum detalhe fica sem cor. Usando negativos das fotos, o estúdio responsável trabalha em uma imagem monocolorida em pedra litográfica, que cria 15 imagens diferentes de pedra para colorir a imagem, como esta que vocês podem ver acima.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Qual a origem e onde ficava o reino de Atlântida?

Atlantida_Misterios Mar

A origem do mito

Assunto recorrente no cinema, nas HQs e na cultura pop em geral, o mito de Atlântida tem berço nobre. Foi o filósofo grego Platão que, em cerca de 400 a.C., inspirou-se numa lenda que já circulava há séculos e registrou pela primeira vez a história de uma nação rica e poderosa que teria afundado nas profundezas do oceano. Ela é explicada pelo narrador Crítias na obra Diálogos

GEORGE SMITH PATTON

            George Smith Patton foi um general norte americano que atuou fortemente na 2ª Guerra Mundial, no encargo do sétimo e, posteriormente, do terceiro exército norte americano. Nasceu em 1885 em uma família com grande participação militar. Após cursar o Instituto Militar de Virgínia (Virginia Military Institute) e, posteriormente, a Academia Militar dos Estados Unidos (U.S. Military Academy) foi designado para atuar na Revolução mexicana. Lá, Patton teve a ideia de instalar uma metralhadora em um carro, tendo enorme sucesso em suas perseguições.

domingo, 14 de agosto de 2016

Encontro em Vila Santina

14 de agosto de 1947, um dos primeiros casos de contato com tripulantes de OVNIs da História Moderna, ocorreu na Itália em 1947.
Representação do tripulante observado na ocasião
Em 14 de agosto de 1947 o pintor italiano Repuzzi L. Johannis encontrava-se em uma área campestre na região de Vila Santina, em Carnia, na Itália, pintando a paisagem local. Era aproximadamente 9 horas da manhã quando ele percebeu a presença de um objeto discóide pousado no campo, a uns 50 metros de onde se encontrava. Ao lado do objeto haviam 2 homenzinhos de 1 metro de altura que vestiam macacões azuis-escuros, com punhos, cinto e colarinho vermelho de cor vermelha. Haviam um capacete cobrindo a cabeça. Apenas o rosto ficava descoberto. Através desta abertura podia-se observar o rosto dos seres que era de coloração marrom esverdeada, com olhos grandes e redondos. Não tinham pelos no rosto. Seu nariz era reto e comprido, com uma espécie de "V" na ponta. A boca parecia uma rachadura em forma de "V" invertido.

sábado, 13 de agosto de 2016

As 25 jogadoras de futebol mais gatas do mundo

As Olimpíadas Rio 2016 de futebol feminino está aí e é fato  é um dos esportes mais populares no nosso país. Saiba que o futebol feminino tem se tornado muito popular e já tem muita mulher linda jogando.

Laísa Andrioli

Laísa Andrioli

Olha como ela é linda.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Os 10 maiores detetives da ficção

O fascínio despertado por solucionar mistérios - e por xeretar a vida dos outros - deu vida a inúmeros investigadores na literatura, no cinema e na TV. Vasculhe nossa lista elementar com os principais deles

10. Ed Mort

ed mort

Ele fez curso de detetive por correspondência, subornou o carteiro para ser aprovado e divide o minúsculo escritório em Copacabana com 117 baratas e o rato albino Voltaire. Criado pelo escritor gaúcho Luís Fernando Veríssimo, Ed Mort estreou no conto A Armadilha, de 1979, mas logo migrou para outras mídias. O atrapalhado detetive já virou especial de fim de ano da TV Globo, chegou aos cinemas em 1997 - com Paulo Betti no papel-título - e foi adaptado para os quadrinhos pelo cartunista Miguel Paiva. Em 2011, a Editora Objetiva reuniu 17 histórias protagonizadas pelo personagem na coletânea Ed Mort - Todas as História. No mesmo ano, o canal por assinatura Multishow lançou um seriado com Fernando Caruso no papel de Ed Mort

Memória e identidade social

Michael Pollak nasceu em Viena, Áustria, em 1948, e morreu em Paris em1992. Radicado na França, formou-se em sociologia e trabalhou como pesquisador do Centre National de la Recherche Scientifique -CNRS. Seu interesse acadêmico, voltado de início para as relações entre política e ciências sociais, tema de sua tese de doutorado orientada por Pierre Bourdieu e defendida na École Pratique des Hautes Études em 1975, estendeu-se a diversos outros campos de pesquisa, que confluíam para uma reflexão teórica sobre o problema da identidade social em situações limites. Entre seus últimos trabalhos incluem-se um estudo sobre mulheres sobreviventes dos campos de concentração publicado sob o título L'expérience concentrationnaire: essai sur le maintien de 1'identité sociale (Paris, Éditions Metailié, 1990), e uma pesquisa sobre a Aids (Les homosexuels face au SIA).

Notas

Brasil

Brasil 1
Brasil 1
1 Real

Brasil 2

Brasil 5
5 Reais

Brasil 10

10 Reais: G. Vargas

Brasil 50

Brasil 1000
1000 reais: Pedro Alvares Cabral

Brasil 1000

Google+ Followers

BRASILEIRÃO 2016 "A"